8 de setembro de 2010

Ele disse


Ele disse…

Pára! Pára de me olhar,
como se me quisesses matar.
Pára de me despedaçar,
como se fosse fácil torturar.

Pára de fingir,
o que sabes não sentir.
Pára de me ferir,
pois eu não cheguei a consentir.

Apenas… Deixa-me vaguear,
à procura de um novo lugar.
Deixa-me aportar,
para um novo sítio habitar.

Por favor pára!
Disse ele.

10 comentários:

  1. Eu sei, nunca percebi, nem nunca gostei de matemática.
    Quem me dera saber fazer poemas destes gabarito. Brutal.

    ResponderEliminar
  2. "Pára de fingir,
    o que sabes não sentir.
    Pára de me ferir,
    pois eu não cheguei a consentir."
    Love it <3

    ResponderEliminar
  3. É chamativa, não é? *-* ahah
    Por acaso sinto-me muito feliz por não ter matemática (ufa)
    Está mesmo brutal a Bad Romance no sino da igreja :o

    ResponderEliminar