19 de julho de 2011

Lisboa: O Final

Para veres o episódio anterior: Clica Aqui!

Lisboa: O Final
Ambos saíram da majestosa Torre Eiffel. Afonso segurava a esguia cintura de Brigitte e sussurrava-lhe ao mesmo tempo aos seus delicados ouvidos. Ele afastava os desgrenhados cabelos dela, agitados pelo vento que se tornava feroz, e acariciava a sua feliz face com os seus longos dedos.
Um repentino trovão abate-se sobre a cidade de Paris que já estava pintada de negro pelas espessas nuvens carregadas de mau presságio.
- What?! It was really nice when we left your house… - Disse Afonso, analisando o céu ameaçador.
- I don’t give a shit! I’m with you – Responde Brigitte a sorrir.
Afonso, deliciado, beija-a e envolve-a nos seus fortes braços para a proteger da revoltosa tempestade que ia ganhando força. Os seus já conhecidos lábios dançavam num apaixonado bailado, perfeitamente coreografado e executado, enquanto o vento, aliado com os trovões, rugiam aos ouvidos dos parisienses e dos dois amantes.
Afonso, lentamente, abre os olhos e diz:
-Stay with me…
-Forever – Diz ela comovida.
A pequena fotografia de ambos em Lisboa fora, de súbito, apanhada pela forte tempestade e foi arrastada sem piedade pelo grosseiro vento.
Afonso larga Brigitte e corre atrás da Polaroid que embate no frio chão de Paris no exacto momento em que começa a cair do pesado céu grossas gotas de água.
Afonso apanha a molhada Polaroid e, nesse exacto momento, um berrante som de uma cruel bala disparada irrompe pela frenética cidade que, numa fracção de segundos, se torna sombria e silenciosa.
Afonso olha, cautelosamente, para trás. Vê Brigitte caída na calçada, curiosamente de estilo português, de mãos no peito a jorrar sangue para o chão que já se encontrava alagado pela imparável chuva.
Afonso fica petrificado a olhar para Brigitte e para o tosco mas fatal ladrão que tentava escapar da polícia francesa depois de ter assaltado uma ourivesaria perto da Torre Eiffel e que disparou contra o tímido peito de Brigitte por engano.
Ele, incrédulo, corre na direcção dela. Ajoelha-se e acolhe-a nos seus braços. A chuva embatia nos amantes com força e as lágrimas de Afonso começavam, incessantemente, a brotarem-lhe dos esbugalhados olhos.
-Please… Stay! – Disse ele a agarrar na face dela e a soluçar.
-It would be so perfect… - Dizia ela a divagar.
Afonso agarra-a com mais força contra o seu peito e beija-a nos lábios que já não o acompanhavam na perfeita dança coreografada.
-I’ll always be with you Afonso… - Diz ela. A custo levanta um dos braços e acaricia a face de Afonso ao mesmo tempo que dizia, com o seu sotaque francês:
- Amo-te Afonso.
-Je t’aime – Respondeu ele, beijando-a um última vez.
Um revoltado trovão irrompe nos céus escuros de Lisboa. A cidade da saudade é, assim como Paris, fustigada por terríveis e súbitas intempéries negras que nada mais eram que a materialização de um terrível, amaldiçoado destino cruel.
-Amo-te – Sussurrava ele uma última vez para Bri.





28 comentários:

  1. claro que nao! nao quero que penses que sou daquelas que tem a mania que é superior so porque é mais velha!
    ohhh, tao fofo ele!

    ResponderEliminar
  2. Hooo porque tinha ela de morrer :(
    Mas gostei, bela história!

    Parabéns ^^

    ResponderEliminar
  3. Não esperava por um final destes! A sério que não :o

    Está bem descrito.. no entanto demasiado fatal :o

    ResponderEliminar
  4. aiii, gostei tanto apesar do final tão triste!*

    HP é uma saga que nasce connosco e morre connosco! já tiveste mais sorte do que eu, a minha irmã não ligou nenhuma! :x

    ResponderEliminar
  5. Este final enquadra-se muito bem na realidade do quotidiano de muita gente! Não tão fatal, mas na perda de (do) grande amor!

    ResponderEliminar
  6. Para uma história de movimentos felizes eu acho que o final foi demasiado drástico :(

    ResponderEliminar
  7. é duro, mas da maneira como escreves ficou bonito! Fazes lembrar o josé rodrigues dos santos, nos livros dele há sempre uma personagem que morre :s
    que idade tem a tua irmã?

    ResponderEliminar
  8. eu sei que nao disseste, mas foi pra esclarecer :p
    o nyan cat muahahhaha

    poçaaaaa, ia toda contente recomeçar a ler esta historia (li as primeiras partes mas depois desliguei-me deste mundo) e sem querer li um comentario em que diz 'hoo porque tinha ela de morrer' que chunnnngaaaa, agora ja sei o final x)

    ResponderEliminar
  9. não ficou como as aquelas histórias em que eles «vivem felizes para sempre», ficou "real"! eu gostei :)
    A minha irmã tem dez :)

    ResponderEliminar
  10. wow, li agora esta história , e está simplesmente fantástica. Realmente, foi escrita com muito coração, e é como cada palavra se conseguisse ser vivida. Continua com este teu jeito para a escrita. Eu vou seguir o teu blog :)

    ResponderEliminar
  11. Acho que fazes muito bem em defender o que escreveste! Todos o deviam fazer. Eu só não gostei do final mas da história gostei, muito. Amor que se desloca de um país para outro só para ser feliz? É de loucos. É lindo! No entanto queria um final feliz, não ouve, whatever. :)

    ResponderEliminar
  12. opááá, tinhas que a matar porquê? :c
    fora isso, está tão booooom *-*

    ResponderEliminar
  13. acho que os teus seguidores têm vontade de me matar :P
    como já disse: adorei, adorei, adorei :)
    "Os seus já conhecidos lábios dançavam num apaixonado bailado, perfeitamente coreografado e executado, enquanto o vento, aliado com os trovões, rugiam aos ouvidos dos parisienses e dos dois amantes." (L)
    Um viva às fechaduras :P

    ResponderEliminar
  14. Sim, mas com a sorte que tenho eles não voltam cá tão cedo :| mas sim, assim que voltarem, hei-de estar lá desta vez!

    ResponderEliminar
  15. Obrigada por seguires :)
    E apesar de ter sido o final mais fatal que já vi, foi lindo :o
    continua a escrever assim ! *

    ResponderEliminar
  16. de nada :)

    ela não liga muito a livros, é o oposto de mim! basicamente, é uma atrasada :p

    ResponderEliminar
  17. Meu querido, a cada esquina é mais prostitutas, sim? :P

    Oh, sim! Até pelo exame de eco xD

    ResponderEliminar
  18. vi agora o video AHAHAHAHAHAHAHHAH que medo xD
    sim, prometo que quando tiver mais tempo livre que a leio :)

    ResponderEliminar
  19. é verdade, Ricardo :p
    eu espero bem que goste, seria um crime não gostar de HP!

    ResponderEliminar
  20. ah, se é só um "rótulo" , eu concordo contigo :)
    Obrigada *

    ResponderEliminar
  21. Oh, eu sou popular! xD
    Queres saber uma coisa? Também não gosto de acidentes. Nada, nada. Há tanta ironia naquele post!

    ResponderEliminar
  22. Adorei mesmo (:
    Nada melhor do que um final trágico. Afinal na vida real raramente existem finais como nos contos de fadas.
    Parabéns :D Pena ter acabado S:

    ResponderEliminar
  23. que final trágico e tão emocionante :o

    ResponderEliminar