27 de março de 2011

Sorrisos Enferrujados!


A crise...

Económica e política...



Podíamos agora resumir toda esta trapalhada com um : “foi-se com os porcos”. Mas, na verdade, o caso é bastante grave e a queda do governo não podia ter vindo em pior altura… Um país podre, economicamente falando, não se deve dar ao luxo de engonhar a política com caprichos embirrentos de partidos que preferem a separação à união. Uma coisa é certa, o português sempre teve dificuldade em olhar e perspectivar algo a médio ou longo prazo, limitando-se a ver o que está mesmo à frente do seu nariz sem quaisquer projecções para o futuro. Este é um dos casos flagrantes desta incompetência portuguesa pois uma crise económica nunca se deve aliar a uma crise política e foi o que acabou de acontecer esta semana neste nosso cantinho à beira mar plantado. Mas quem se começa realmente a cansar destas politiquices todas são os portugueses que não mais querem ouvir falar em Sócrates, em Passos Coelho, em Teixeras dos Santos, em Cavacos Silva em tantas outras amostras de criaturas políticas que acabam sempre por revelar um nível enorme de incompetência face a esta avassaladora crise… Crise essa que, pouco a pouco, vais destruindo e dizimando as esperanças dos portugueses em que isto melhore… Apresentamo-nos então à Europa como um país podre, pobre, deprimido, sem esperança e que nada faz para alterar isto tudo… Como uns verdadeiros fracos que se dão por vencidos. Ai Portugal, onde está essa coragem tão natural, que nos acompanhou sempre em períodos de carácter fulcral. Adeus Portugal…


Ps: Para compreenderem o grave da situação, este texto foi elaborado por uma pessoa de direita que não gosta do Sócrates!


By: RicardoRodrigues & PR'

22 comentários:

  1. Quem escreve isso tem um jeito! (a)

    ResponderEliminar
  2. MESMO!
    Mas penso que exageram nas críticas a um Passos Coelho que ainda não teve oportunidade de fazer nada...!
    Agora o Sócrates esse já deu o que tinha a dar... E se voltar a vencer só falta ao povo português que vota nele andar com uma placa na testa a comprovar o atestado de burrice!
    (Sim, também não gosto do Sócrates!)

    ResponderEliminar
  3. Antes de mais, concordo com quase tudo!
    É verdade que temos uma crise económica e que conseguimos aliar-lhe uma crise política (uma crise de conveniência do PSD e do CDS principalmente), mas não nos mostramos assim à Europa, a Europa é quem quer que estejamos assim! Sem dúvida que a principal causa disto tudo são as políticas de extrema direita (completamente parvas) que vigoram na União Europeia, com Sarkosy e Merkel! Se há português que realmente tem culpa nisto tudo, é o Barroso!
    Agora o Sócrates e o Passos Coelho tiveram igual culpa nesta crise política, porque a planearam e a construíram por conveniência! E Sonhadora, desculpa mas tenho de discordar! A verdade é que o Sócrates já fez muitas coisas boas pela nossa economia (como português congratulo-me por não estarmos, a nível social, como a Espanha ou como a Itália, que até estão relativamente bem a nível financeiro), mas também fez muita asneira, é um facto! Agora, quanto ao Passos Coelho, eu acho que o texto peca por ser demasiado brando com ele! O Passos Coelho já é líder do maior partido da oposição há tempo suficiente para apresentar coisas! Teve oportunidade de passar ou chumbar o Orçamento de Estado. Passou-o, logo, é tão responsável por ele como o próprio Sócrates! Teve oportunidade de passar ou chumbar o PEC IV. Chumbou-o. Até aí tudo bem. Mas não apresentou qualquer proposta apesar de ter admitido que eram necessárias reformas. Além disso, chumbou o PEC porque amuou (por o Sócrates o ter apresentado primeiro em Bruxelas) e não por não concordar com ele - até porque vai apresentar algo quase igual, e foi dizer isso em Bruxelas! Ora, os amuos são coisas até muito fofinhas, em crianças de 4 ou 5 anos, mas não no que provavelmente vai ser o próximo primeiro-ministro!
    Além disso, ele quer acabar com o ensino e a saúde pública! Portanto, só pode conscientemente apoiar o Passos Coelho quem quer Portugal com posições igualmente fracas nos rankings europeus de indicadores económicos mas sem Estado Social e com um desprezo acima do normal pelas classes pobres!

    (e eu não gosto do Sócrates! agora, ao lado do Passos Coelho, o homem é um anjo!)

    ResponderEliminar
  4. Bem Ricardo, tenho de voltar a discordar de ti:

    A verdade é que lhe dei o benefício da dúvida, mas perdeu-o com o que fez - alguém que é mau a líder da oposição é ainda pior a primeiro-ministro! Não acho que as diferenças entre os dois sejam grandes, e nisso concordo contigo, ambos seguem a linha neo-liberal de Chicago (e nós precisávamos de quem seguisse uma linha neo-keynesiana, com mais investimento público em sectores sem fuga do efeito multiplicador - e há desses em Portugal, o problema é que estão no mesmo partido que o Sócrates). Agora, isto é a nível económico. A nível social já é outro campeonato: o Passos Coelho, uma das primeiras coisas que disse como líder do PSD foi que queria uma revisão constitucional que visasse o fim da obrigatoriedade do fornecimento gratuito de educação e saúde. Depois desdisse o que tinha dito, mas agora já veio com a ideia do cheque-escola, que vai obviamente levar ao fim do ensino público e depois à degradação do privado, porque os privados têm como objectivo único a maximização do lucro. Mas claro, é um bom mote de campanha, porque o Zé Povinho delira com a ideia de pôr os seus filhos em escolas privadas, ainda que sejam muito piores que as públicas, dá aquele arzinho...
    Já da saúde não falam, pois é claro que não, os portugueses já não votariam nele só de imaginarem o fim do sistema nacional de saúde (que é das poucas coisas em que estamos à frente).
    Quanto ao Sócrates ser corrupto: é normal - cresceu nas jotas e lá a única coisa que ensino é a corromper. Mas devo lembrar-te que o Passos Coelho também cresceu nas jotas e também há sérios indícios de corrupção nele - só ainda não são tão boas manchetes de jornais (sim, os media são, em Portugal, os maiores manipuladores de informação que existem).
    Capaz de pegar neste país? há! muitos e bons! o problema é que não têm um discurso tão bom como o deles e hoje em dia não ganham os melhores mas os que fazem melhor publicidade!
    E aconselho-te vivamente: lê, lê muito sobre Portugal, daquilo que se diz lá fora - lá fora da Europa (que é onde não há demasiados interesses envolvidos), mas não o que dizem as agências de rating (que essas têm interesses).

    ResponderEliminar
  5. (uma vez que a conversa é contigo, eu parto do princípio que é uma troca de ideias entre pessoas decentes, e portanto, é claro que ambos respeitamos as ideias um do outro. Nada como o debate saudável, como este, denota tanto respeito pelas opiniões (: )

    Agora, voltando ao que falávamos: a verdade é que sim, poria em causa a saúde pública e não tanto a instrução (porque com o cheque escola continuaria a ser obrigatória) mas a sua qualidade. A verdade porém, é que isto dá muito dinheiro a "alguns sectores". Se queres ver um bom exemplo de políticas de direita num país desenvolvido que provam que esse cenário não é assim tão improvável, basta veres os EUA de Bush: se uma pessoa que não tivesse seguro de saúde estivesse a morrer à porta de um hospital, deixavam-na morrer, porque não eram sequer autorizados a tratá-la! E não sei se estiveste sempre a par das evoluções políticas nos EUA depois da eleição de Obama, mas uma das maiores reformas que ele quis implementar foi um sistema de saúde geral (a aproximar-se do nosso, que é um sistema de saúde de esquerda) e foi imensamente criticado por todos os "poderosos" (ia tirar dinheiro ao exército) e a acção dele foi limitadíssima, mas chegou pelo menos ao ponto de agora todos terem os cuidados mínimos! Só para veres, nos EUA, os seguros de saúde mais baratos não incluíam a medicina dentária, o que redunda no facto de no país "mais desenvolvido" (bulshit) do mundo haver milhões de pessoas com problemas dentários que não são tratados!
    Não só quero comparar o que está por trás do Sócrates com o que está por trás do Passos Coelho, como comparo mesmo! São ambos corruptos, acredito que sim, pelo menos ambos têm indícios disso (mas nada foi provado em relação a nenhum deles, por isso acho que se deve ter cuidado nas acusações gratuitas que se fazem). Agora, quanto ao Sócrates devo lembrar-te só uma coisa: a comunicação social consegue manipular qualquer informação para, sem mentir, dar a entender tudo aquilo que quiser. E a verdade é que a comunicação social fez de tudo para deitar abaixo a imagem do Sócrates (porquê? porque vendia!). Não o estou a defender nas muitas coisas que ele pode ter feito, mas a dizer que há muitas histórias mal contadas e muitas coisas por contar!
    E digo-te também que o Passos Coelho tem muitas histórias dessas!
    Quanto a quem pegasse neste país, tenho alguma renitência em dizer nomes porque não sei se são os apropriados, mas posso dizer-te, isso sim, que há algumas correntes novas na economia, como o institucionalismo, que já são levadas a sério no mundo (uma economista deste segmento já ganhou o Nobel, a Elinor Ostrom) mas que em Portugal são desprezadas (por interesses envolvidos) e que em Portugal já apresentaram muitas e boas soluções par a situação (que é cada vez pior) - se quiseres ver mais sobre esta corrente, aconselho-te um muito bom blogue desta área, os Ladrões de Bicicletas.
    Quanto à Europa, discordo completamente. Não defendo a desintegração do euro, pois seria um retrocesso de décadas, mas acho que Portugal não deveria sequer ter aderido à moeda única (e uma parte significativa dos economistas, de todas as faces políticas, concorda neste aspecto). O facto de pertencermos à Zona Euro tirou-nos a capacidade de gerir a nossa Política Monetária, que seria o primeiro instrumento a usar numa situação como esta e o mais eficaz! O Euro não criou a crise, mas agravou-a muitíssimo!

    (ficou tão grande que o blogger me mandou dividir em dois comentários xD)

    ResponderEliminar
  6. (aqui vai o outro)

    Como dizia hoje um professor meu numa aula (que desconfio que é de centro-direita, mas que não pode assumir uma posição política nas aulas, como é lógico, por isso não tenho a certeza), esta crise começou quando o Cavaco se lembrou de aumentar estupidamente a função pública e gerir o país como se fosse um país rico, continuou com o Guterres e, os outros ainda a tentaram travar, mas depois havia eleições e os cortes nunca eram bem-vindos. O Sócrates pode ter feito muitas asneiras, mas essencialmente teve o azar de ter apanhado a crise no momento da ruptura! O Blanchard, que é um grande economista e autor do meu livro de macroeconomia, estudou há alguns anos a situação de Portugal e disse, depois de fazer as contas, em 2006 (quando nós ainda andávamos a discutir se tínhamos um problema e a aumentar salários à função pública) que a única forma de reverter a situação do país era um corte slarial de 30% - isto, no mínimo, dá que pensar! E aqui a culpa não é do PS nem do PSD, ou melhor, é, é de ambos, que ambos estavam contentíssimos com as grandes obras públicas!

    ResponderEliminar
  7. (não te preocupes que nós somos boa gente :b)

    Não me parece que tenha de haver assim tanta coisa. A verdade é que meio caminho já está feito: já foram fechadas as escolas com poucos alunos (por desperdiçarem recursos e pondo em causa a qualidade do ensino de muitos alunos) e já começaram a ser privatizados (via PPP - parcerias publico-privadas) grande parte dos hospitais públicos. O Passos Coelho afirmou, e sublinho, afirmou, a sua vontade de tirar ao Estado a obrigação de assegurar Ensino e Saúde públicos. Não é assim tão complicado chegar-se à situação da Inglaterra! Nesse aspecto, principalmente no ensino, o Sócrates fez um desenvolvimento notável (retraído pelos professores e sindicatos preguiçosos) de aproximação aos países nórdicos, que são os verdadeiramente bons exemplos que existem!
    E se chegarmos ao estado a que penso que chegaremos, o povo português não vai fazer nada, porque é um pouvo que ouve, grita um bocadinho, come, grita mais um bocadinho, não é ouvido e cala!

    "não é tão corrupto e desonesto quanto Sócrates" - cuidado com este tipo de afirmações, não é possível que o saibas nem tampouco que eu o saiba! eu acredito que são ambos corruptos, mas não há como medir qual é mais. E aquilo que pensas é normal, porque os media ainda não se puseram a investigar o Passos (ainda não vende), logo, não ouviste nada dele!

    Neste momento, um governo de direita seguiria à risca o que a UE dissesse. O que implicaria isso? Talvez se acertassem as contas públicas, mas iria haver uma desconcertação social e os pobres ficariam muito mais pobres! eu só ainda acho que as questões sociais estão acima das financeiras, no matter what! E prefiro viver num país que chegou a um ponto e disse "Não pago!" e ficou mal visto pelos mercados do que a um país a quem todos querem emprestar (porque cumpre sempre) mas onde metade da população está a morrer à fome e não tem as condições mínimas de vida!

    abstracção? não é o momento para haver algum tipo de abstracção! muito menos para quem anda na área de Economia como nós os dois xD

    ResponderEliminar
  8. só vi agora o teu comentário quanto ao euro: o que eu disse não é uma opinião minha por olhar para as coisas. Houve estudos ´já de muitos Senhores (com ésse grande) da economia que o demonstraram muito bem! Estaríamos melhor e teríamos desenvolvido um mercado muito mais competitivo em Portugal, e podíamos aderir ao euro daqui a mais uns anos, quando tivéssemos uma economia suficientemente forte para um grau de abertura tão elevado! Repara: nós importamos mais de metade do que consumimos, é incomportável!

    ResponderEliminar
  9. Ora bem, para começar, não concordo com o que dizes das privatizações. As privatizações são, na sua generalidade, más! (eu por exemplo, considero que uma boa solução agora era nacionalizar a banca)!
    Quanto à RTP também não concordo! Não podemos comparar com os canais fora dos 4 porque esses são pagos e portanto financiam-se de outra forma - além de que mais de metade dos portugueses não tem acesso a eles. Quanto aos 4 canais acho que a RTP1 e a RTP2 fazem um excelente trabalho em variar a oferta televisiva - tanto o entretenimento como a informação (que eu considero de maior qualidade). A verdade é que esta oferta só não é feita pelos privados porque é pouco rentável. Mas a RTP não é um buraco financeiro - a verdade é que já deu prejuízos, mas, em termos líquidos, tem dado lucro nos últimos anos!

    O Sócrates tem sido pau mandado, apesar de ter resistido a uma ou duas coisas! Mas as políticas de Sócrates são indubitavelmente de direita - o problema é que o Passos ainda será mais!

    Isso da estabilidade financeira e social estarem ligadas é errado, completamente errado! Basta veres os países onde há mais desequilíbrios sociais na Europa, tipo Espanha e Itália que têm as contas públicas em bom estado, relativamente aos outros países!

    Não uses a palavra crise, usa recessão!

    Já na altura, vários economistas preveniram contra esta hipótese, mas não lhes deram ouvidos, como sempre, para ganharem eleições!

    ResponderEliminar
  10. Não posso, de todo, concordar com isso! A RTP tem uma grelha alternativa - não passa telenovelas dando a alternativa das séries (que seria impossível numa privada porque dá menos resultados financeiros). Além disso, a RTP2 tem uma grelha fantástica, com baixo orçamento e que não dá lucros de jeito, obviamente! Eu conheço bem o director da RTP2, o Jorge Wemmans, e ele aqui há uns anos até me disse a distribuição de orçamentos entre as duas, que eram ambas baixas, mas a parte da RTP2 era pequeníssima. E sim, a RTP é a menos vista, mas precisamente porque oferece uma alternativa, culturalmente mais elevada, e por isso mesmo pouco vista por um público analfabeto como o nosso. Precisamente por isso é que é necessária. E posso-te garantir que a RTP tem uma imparcialidade total em informação, até é a que tem mais, porque as outras mexem com interesses privados. O director de informação da RTP, o José Alberto Carvalho (que agora vai mudar para a TVI, pelo menos ouvi rumores disso), é uma pessoa seriíssima e seria o primeiro a denunciar caso houvesse alguma pressão! E dizer que o Governo controla a comunicação social é uma acusação muito perigosa e infundamentada! a Manuela Moura Guedes saiu por decisão da direcção da TVI, as pressões que possam ter havido estão a ser investigadas e, não havendo indícios de se ter confirmado, não se deve nem pode fazer estas acusações! Mas os portugueses têm a mania de dizer que tudo é corrupção e de não fazer nada quando ela existe mesmo!
    Que a RTP tem vindo a dar lucros, em vez de duvidares, consulta a demonstração de resultados (há-de estar disponível na net), eu sei porque a usei para um trabalho de contabilidade!

    As contas de Espanha estão equilibradas, mas é óbvio que se Portugal se tornar incumpridor, a Espanha vai a baixo - porque metade da dívida dos bancos portugueses é a bancos espanhóis. E a Europa só está preocupada com Portugal porque se Portuga não cumpre, a Espanha vai abaixo, se a Espanha vai abaixo, a Europa vai abaixo porque os maiores bancos da Europa são espanhóis (ex: Santander). Além disso, a Espanha tem um outro problema de nível estrutural financeiro, mas que nada tem a ver com o balanço financeiro das contas públicas (qualquer sistema financeiro capitalista que não seja autárcico colapsa se os outros colapsarem, é o chamado efeito dominó!) mas o problema do sistema financeiro espanhol é que há muitos bancos regionais (as chamadas caixas: caixa galiza, caixa vigo, etc) que detêm quase 40% da quota de marcado, e, se houver problemas sérios financeiros, vão todos uns atrás dos outros. Quero com isto dizer: sim, se Portugal cair a Espanha cai também, mas isso nada tem que ver com as políticas do governo espanhol!
    Os países nórdicos, que usas como exemplo, têm, na esfera económica, uma intervenção pública muito mais de esquerda que a europa da União Europeia. A pressão fiscal é altíssima e quase todos os serviços essenciais são assegurados. Do ponto de vista financeiro alguns, como a Suiça, têm políticas de não-intervenção total que cria os paraísos fiscais (que são bons para as contas públicas, mas sou eticamente contra eles!). De qualquer forma, deste exemplos de países onde os partidos de direita são mais à esquerda que os nossos de "centro-esquerda".

    Eu até tenho uma t-shirt a dizer "crisis is everywhere" xD

    PS: não vai ser assim tão diferente: bem-vindos ao PEC IV + taxas sobre os grandes lucros e grandes prémios essencialmente da banca. As classes pobres já vivem com o FMI desde o OE 2011!

    ResponderEliminar
  11. Eu também, estando atafulhado com um trabalho de Macroeconomia (que por acaso tem tudo a ver com esta discussão), não consigo nem quero deixar de responder xb

    Eu também não disse que disseste, só disse que dizer é grave e esse rumor andou por Portugal inteiro!
    E acho que agora disseste tudo: "também porque não usa nem abusa do sensacionalismo que as privadas precisam para ganharem audiências."
    Não diria que são mais softs, mas sim que se cingem à verdade! Apesar de não gostar de certos e determinados jornalistas da RTP, não posso deixar de afirmar que é lá que se faz o melhor jornalismo televisivo de Portugal!
    Os serviços prestados pela RTP nunca o seriam por uma privada porque não é lucrativo e as privadas só fazem o que é lucrativo - o serviço iria certamente deteorar-se! E eu peço desculpa mas também tenho de discordar. Por decisão do director de programas, a RTP não tem uma única novela de há uns anos para cá. Creio que a última foi a Escrava Isaura. É mesmo uma decisão de estratégia da RTP enquanto empresa.
    E ninguém mais tem a oferta de séries que tem a RTP2 (nos 4 canais, claro!)
    Eu não disse que as novelas são podres e culturalmente analfabetas, mas pensei, por isso não argumento xD As novelas são a grande razão do atraso e da decadência cultural do nosso país, e não, não concordo que tenhamos bons produtos a nível de novelas, nem tampouco a nível de informação! Não vejo onde é que encontras essa qualidade fantástica nos diálogos e muito menos na representação! Está estudado e mais que provado que quanto mais baixo o nível cultural de um país, mais sucesso têm as novelas. Porque será?
    o 5 para a meia noite é um bom exemplo de um programa que nunca seria feito por uma estação privada, porque tem muitos mais custos do que lucros!
    (pois, de economia passámos para televisão xD ao menos tema de conversa não nos falta)
    Eu sei, mas se reparares bem, todos os povos dos países com esse equilíbrio têm uma mentalidade muito mais pro-Estado do que o nosso e um Estado muito mais à esquerda do que o nosso. E políticas de esquerda (não demasiado radical, tipo Manuel Alegre ou João Semedo ou José Manuel Pureza), no longo prazo, levar-nos-iam a esse equilíbrio. Eu quando dizia que era uma coisa ou outra, referia-me ao curto-prazo (curto-prazo costuma ser um ano, mas aqui falo de 20 ou 30).

    não temos todos (muito que aprender)?

    ResponderEliminar
  12. acreditas que eu fiz um dos meus comentários gigantes e deu erro e ele desapareceu? :o

    ora, tentando replicar +/-:

    Parece-me um tema interessante (:

    Deve ser uma coisa nova isso das novelas, que ainda há relativamente pouco tempo esteve no 5 p'ra meia noite o director de programas da RTP a dizer o que eu tinha dito, mas tens razão, tem lá aquela que disseste!

    Direito de criticar tenho sempre (estou num país com liberdade de expressão) - cuidado com os termos. De qualquer forma, eu não critiquei essa novela, mas as novelas em geral. Apesar de tudo, quando falaste dela a primeira vez, fui ver uma série de vídeos e foi o suficiente para perceber que não tem nada de especial de diferente das outras - a representação é má e os diálogos banais!
    A crítica não me diz nada, mesmo nada! eu gosto de construir a minha própria opinião! Além disso, a correlação entre novelas e baixo nível de cultura é bem patente, e eu acredito que haja também causalidade!
    Há muito bons actores em Portugal, como Ruy de Carvalho e Soraia Chaves, mas não reconheço grande mérito a esses nomes que disseste. De qualquer forma, a representação não depende só dos actores, mas de toda a equipa, e nas novelas em geral, e essa não é excepção, é fraca! (Por exemplo, acho o Nicolau Breyner fantástico no cinema e em séries, mas absolutamente banal nas novelas que já fez!)

    As audiências do 5PMN nem dão para mandar cantar um cego, quanto mais para pagar 5 apresentadores mais aquela equipa toda (e não esquecer: a RTP2 não tem publicidade, coisa que uma privada nunca seguiria, mas que é fantástica!). E duvido muito que tivesse uma audiência muito diferente noutro canal, mas, de qualquer forma, na TV há muitas ideias de programas para lançar. E quando se lança um há dezenas que não se lançam. E existe uma coisa chamada o custo de oportunidade (já deves ter falado), que é aquilo que de maior se perde por se tomar uma decisão. Neste caso, um privado que lançasse o 5PMN teria sempre um custo de oportunidade enorme, porque mesmo que, utopicamente, fosse um programa rentável, não seria o mais rentável!

    Claro que comparo, não sei assim muito mais, em termos de economia é normal que saiba um bocado porque tenho quase o dobro do tempo de economia que tu tens, leio imenso de economia e convivo diariamente com economistas. Mas tu saberás mais de outras coisas!
    Temos todos uma carrada de coisas para aprender, e ainda mais para descobrir!

    É na discórdia que o mundo avança :)
    (congratula-te: ficou mais pequeno!)

    ResponderEliminar
  13. eu nunca me "lixo" para uma troca de ideias tão proveitosa!

    claro que "ganhaste a batalha", se tinhas razão, é normal que ta dê.
    não vi essa cena, mas mesmo que seja boa, uma novela não se torna boa por ter uma cena boa...
    eu não questiono todos os elencos das novelas, eu questiono é a equipa que está por detrás dos elencos - não são os actores que são maus, ou pelo menos não só os actores.
    E sim, Ruy de Carvalho é FANTÁSTICO!

    quanto ao 5pmn, não é bem assim! ele passou da primeira série não por ser rentável mas porque teve uma boa aceitação (e essas duas coisas nem sempre estão tão relacionadas como se pensa) - é essa a vantagem da televisão pública, pode manter programas no ar só porque têm boa qualidade. E os programas da RTP2 nunca são rentáveis, porque a RTP2 não tem publicidade!
    Se fôssemos comparar com os programas do horário nobre era fácil perceber que tem e iria ter uma audiência reduzidíssima, e se compararmos com os programas que dão à mesma hora na SIC ou na TVI, as audiências são parecidas, mas nos privados estão aqueles programas para ligar e ganhar prémios, que dão 60 cts por cada chamada: isso sim, é muitoooo rentável!

    Se vais seguir economia, deixo-te um conselho: sê MUITO crítico em relação àquilo que aprendes. A economia não é uma ciência exacta como te vão querer fazer parecer. Vão-te formatar para a economia neo-liberal (que está provado que tem imensos erros). Por isso, lê muito de autores diferentes por fora. E nunca tenhas uma visão acrítica sobre o que aprendes (excepto nos exames, aí finges que acredita piamente naquilo, se não estás reprovado xD)

    ResponderEliminar
  14. FUCK, aconteceu de novo -.-'

    Ora, o que eu tinha dito:

    Ó Ricardo, para encerrar este capítulo das novelas, vou citar um amigo que acho que expressou muito bem o conteúdo delas: "patati patata"!

    (Eu acho que o do Gato Fedorento ainda foi melhor, mas são coisas bastante diferentes, eu sei xb)
    O que eu gosto mais é o de 4.ª-feira! e vejo graças ao meo que me grava tudo.
    Outro dia, no programa do Alvim, lembrei-me de ir ao chat ver como era, mandei uma coisa e eles puseram na tv :x

    hmm, nem é tarde nem é cedo, devias começar a ler já livros como "Como a Economia ilumina o mundo" de John Kay (é um livro muito light, só para veres já o li 7 vezes), "O Economista Disfarçado" de Tim Harford - este é absolutamente fantástico!, "Freakonomis" e "Super Freakonomics" - estes são mais engraçados que outra coisa, tens de ser extremamente crítico em relação aos resultados!
    MAs se fores lendo, quando começares a ter cadeiras de economia a sério (que ao início é só matemática) vais sentir um avanço enorme relativamente aos teus colegas que não lêem por fora!

    ResponderEliminar
  15. O patati patata que tu disseste foi de génio!
    Eu gosto mais do meo do que da zon xb mas também não diria que foi a melhor coisa que me aconteceu, apesar de ter sido uma bastante boa :b
    para passares no chat, tem de ser em directo xb

    Mas olha, a leitura desses livros, não devia dispensar a leitura de vez em quando dos Ladrões de Bicicletas (e não queiras uma opinião vincada - alguém que se preze muda de opinião sempre que vê que não tinha razão!)

    ResponderEliminar
  16. Eu não te queria calar, se há alguma coisa que ficou por dizer, faz favor de dizer!
    Sabes que é falsa concorrência? Já falei desse caso em duas cadeiras! Depois explico-te se quiseres!
    Sim sim, vai lá!
    Olha lá, eu sou o par da Carolina no "pôr as letras a caminho", pensas que ainda não sabia que são da mesma turma? xD um dia poderá ser aí :b

    Consigo, faço copy antes de enviar para garantir que está seguro!

    ResponderEliminar
  17. ora bem, falsa concorrência é quando s compradores pensam que estão a lidar com duas empresas concorrentes que na verdade têm estratégias de colusão conjunta. Ou seja, em vez de serem concorrentes são praticamente a mesma empresa com nomes e donos diferentes. Normalmente, como é o caso, cada uma das empresas é dona de uma parte da outra, por isso não tem incentivos a fazer com que a outra perca lucros. Além disso definem estratégias semelhantes para os compradores não terem grande poder de escolha e não haver muita dificuldade em praticar preços de monopolista sem que nenhuma delas tenha incentivo a praticar preços mais baixos.

    ResponderEliminar
  18. sim, mas a maior parte estão bem identificados e deveriam estar a ser combatidos xb

    ResponderEliminar
  19. enquanto está na primeira página não me custa nada xDD

    o mais conhecido a nível mundial é o dos países exportadores de petróleo, que formaram um cartel, mas o deles é assumido. Normalmente os cartéis são proibidos, mas naquele caso é complicado.
    olha, um bom caso são os supermercados - principalmente quando fazem aquelas promoções: se encontrar mais barato devolvemos o preço - parece ser fantástico para o consumidor, mas imagina que nós os dois temos cada um um supermercado e temos essa "promoção". Normalmente eu reduziria um preço onde tinha demasiado lucro para atrair clientes e até tu te aperceberes dessa redução, eu ganhava clientes, mas o que acontece com esta promoção é que a redução no meu preço só vai fazer com que os teus clientes te vão pedir um reembolso da diferença e ao primeiro que ta peça tu ficas a saber os meus preços e ajustas logo o preço, e eu perco a minha vantagem em reduzir os preços!

    ResponderEliminar
  20. gostar, gosto sim! ser bom, não sou assim tanto (:

    ResponderEliminar